Imagem de destaque Programa Jardim para Borboletas homenageia a professora América Eleutério Nogueira

Programa Jardim para Borboletas homenageia a professora América Eleutério Nogueira

30/06/2020 - 17:45 | atualizado em 30/06/2020 - 18:33
ASCOM | Texto: Luis Carlos Gusmão | Fotos: Fábio Marçal e Acervo Pessoal

Primeira mulher a se candidatar a cargo público em Montes Claros e também a obter carteira de motorista na cidade, a professora América Eleutério ganhou um jardim e uma escultura gigante de borboleta, dentro do Programa “Jardim para Borboletas”, desenvolvido pela Prefeitura de Montes Claros em parceria com o Ministério Público Estadual, com o objetivo de homenagear mulheres que fizeram e fazem história em Montes Claros.

A obra de arte, de autoria do artista Gu Ferreira, foi feita de aço e material reciclável e contou com a participação dos reeducandos do programa Para Além das Prisões. Está afixada na Praça João Catoni, na Vila João Gordo, próximo da Socomil. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Paulo Ribeiro, "o programa está embelezando Montes Claros e contribuindo para que o município seja reconhecido, de fato, como a cidade da arte e da cultura, além de devolver dignidade aos reeducandos e às pessoas em situação de rua, que estão sendo contratadas, sem ônus para a municipalidade, para cuidar dos jardins e das obras de arte”.

Quem foi América Eleutério Nogueira?

À frente do seu tempo, em 1974 a professora América Eleutério foi candidata à vice-prefeita na chapa de Pedro Santos. Ela também foi a primeira mulher em Montes Claros a obter carteira de motorista. Era casada com o ex-vereador Afrânio Nogueira Soares. Seu filho, Afrânio Junior, também foi vereador em Montes Claros. América Eleutério

Nogueira faleceu em 2 de janeiro de 2004, aos 72 anos. Normalista, formada em 1947, e Pedagoga, em 1967, na primeira turma da Faculdade de Filosofia (Fafil) da Fundação Universitária do Norte de Minas (FUNM), hoje Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), a professora América Eleutério tinha trânsito livre em todas as esferas ligadas à Educação, tendo participado de vários congressos e seminários nacionais e internacionais, onde se relacionava com grandes mestres, como os professores Paulo Freire e Darcy Ribeiro.

Dona América, como era carinhosamente chamada, lecionou e coordenou vários programas junto à Fundação Unimontes. Paralelo a este trabalho na Universidade, ela atuou junto à Sudene, Cepol e Prefeitura de Montes Claros, onde exerceu em diferentes mandatos importantes trabalhos na área educacional, tendo sido, inclusive, coordenadora da Mobral/Educação Educar, além de secretária municipal de Educação, na gestão do ex-prefeito Mário Ribeiro.

Ela também foi coordenadora de curso de formação de professores leigos, em 1968, junto ao governador José Maria de Alkimin. Dona América ainda atuou na área artística em Montes Claros, tendo participado de diversas peças teatrais.

PROGRAMA JARDIM PARA BORBOLETAS – Já foram homenageadas pelo programa a promotora Ana Heloísa Marcondes Silveira (Praça da Rodoviária); a enfermeira Antônia Colares, a "Tonha da Santa" (avenida Mestra Fininha com Deputado Esteves Rodrigues); a doméstica Maria da Conceição Silva, a "Maria de Custodinha" (Trevo da Sion); a educadora Marina Helena Lorenzo Fernândez Silva (Praça da Rosa Mística); a religiosa Joana Maria Juliana Wandekeybus, a "Irmã Veerle" (avenida Deputado Esteves  Rodrigues com Sidney Chaves); a educadora Yara Souto (futura Praça Yara Souto, no Todos os Santos); a musicista Clarice Sarmento (encontro da avenida Bio Lopes com a rua João Martins, no Grande Renascença); a escritora Yvonne Silveira (Avenida São Judas Tadeu); a professora e folclorista Zezé Colares, na praça Doutor João Alves (Automóvel Clube); e a professora Heloísa Sarmento (Praça Engenheiro Joaquim Costa), nas proximidades do Hospital Dilson Godinho. A próxima homenageada será a oncologista Dra. Príscila Miranda.